Em 2015, investimentos em transmissão somam R$ 176 milhões

Os investimentos da Eletrobras Eletronorte na ampliação e reforço dos sistemas elétricos não param e ultrapassam os R$ 176 milhões em 2015. Até a primeira quinzena de dezembro, foram concluídos e energizados 10 empreendimentos entre obras de leilão e autorizações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em cinco dos dez estados onde a Empresa mantém os seus empreendimentos, visando a melhoria no atendimento e a garantia de maior oferta de energia e segurança ao sistema elétrico. Isso representa um aumento na Receita Anual Permitida (RAP) da Eletronorte, a partir da energização ocorrida em 2015, de R$ 17,6 milhões referidos a preços da data das Resoluções Autorizativas, o que representa 10% de todo valor investido no sistema de transmissão no corrente ano.

A expansão dos sistemas de transmissão visa aumentar a capacidade de transmissão de forma a assegurar e manter a disponibilidade de energia em função do aumento de geração no sistema e ainda garantir confiabilidade no uso da rede de transmissão, com transparência e equidade no relacionamento técnico com os agentes. “O objetivo final é o atendimento à demanda dos consumidores e da sociedade, de acordo com os padrões adequados de qualidade e confiabilidade, com menor custo possível”, declara o Superintendente da Transmissão, José Orlando Cintra.

O maior montante de investimentos ocorreu no Sistema Pará/Amapá, com recursos que somam mais de R$ 90 milhões, distribuídos em 12 obras em andamento, ou em fase de conclusão. Vale destacar a implantação de dois transformadores de 200 MVA e do novo pátio em 69 kV na SE Vila do Conde, uma obra estratégica ao atendimento no estado do Pará, e que representou um investimento de mais de R$ 40 milhões, tendo sido energizada no prazo da Resolução Autorizativa da Aneel.

O sistema Maranhão/Tocantins também teve empreendimentos importantes concluídos, como a transformação do setor 230 kV da SE Miranda II, com a evolução de Barra Principal e Transferência (BPT) para barra dupla a 4 chaves BD4, adequando-se aos procedimentos de rede estabelecido pelo Operador Nacional do Sistema (ONS). A implantação do AT3 230/138/13,8 kV, de 100 MVA, na SE Porto Franco, também traz maior segurança e flexibilidade operacional para o noroeste e sudoeste do Estado, além da capital São Luís e região metropolitana. Foram investidos R$ 50 milhões no Estado.

Todos os desligamentos necessários à implantação dos empreendimentos foram devidamente programados, não havendo qualquer prejuízo para a Eletronorte, como a incidência de parcela variável, e não houve qualquer impacto negativo para as populações dos Estados atendidos.

As equipes destacam que, para o sucesso das empreitadas da transmissão e alcançar o objetivo de disponibilizar as instalações em condições de operação no Sistema Interligado Nacional (SIN), é essencial que os trabalhos de implantação dos empreendimentos sejam feitos em parceria e com interação das equipes de projeto, fiscalização, coordenação e operação da Eletronorte com as equipes de fornecedores.

Agência Eletronorte, por César Fechine

Leia também na Agência Eletronorte
Ibama Emite Licença Prévia Para A Linha Manaus-Boa Vista
Concluído Mais Um Trecho Da Linha Jauru-Porto Velho
Subestação De Rondonópolis Aumenta Em 50% A Sua Potência Instalada

Sem comentários