Em Tucuruí, Superintendência se mobiliza para enfrentar o Aedes aegypti

De 8 a 19 de maio, a Superintendência de Gestão de Ativos de Produção da Geração (OGG) promoveu uma grande mobilização em Tucuruí, no Pará, para enfrentar o mosquito Aedes aegypti. Na oportunidade, a Divisão de Suporte e Infraestrutura (OGGAS), em parceria com o Departamento de Endemias do município de Tucuruí, proferiu palestras de sensibilização visando a eliminação do mosquito vetor na Vila Residencial da Eletronorte,  nas escolas, prédios da OGG e nas dependências da Usina.

O objetivo  foi conscientizar  sobre a realidade das doenças associadas à disseminação do zika vírus, da dengue e  da chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A ação reforçou ainda mais a importância  e necessidade da eliminação dos criadouros do mosquito.

Alaide Franco do Vale, coordenadora das ações de mobilização e lotada na Divisão de Suporte e Infraestrutura  da OGGAS, unidade ligada ao Departamento de Administração e Meio Ambiente da Geração (OGGA), explica que os esforços  tiveram a intenção de atingir o maior número  possível de pessoas  na Vila Residencial. “Nosso maior desafio foi eliminar os muitos criadouros. Iniciamos as atividades pelas escolas e as visitas às casas podem acontecer caso haja necessidade. Os moradores estão mais conscientizados. Isso comprova o sucesso das ações nessa luta diária”, disse Alaide.

As visitas nas escolas foram iniciadas no último dia 16 e a primeira escola atendida foi a  Rui Barbosa. Ao todo, 210 alunos participaram das palestras e receberam orientações. Outras escolas atendidas pela equipe de mobilização  foram Maria Sylvia, com 68 alunos conscientizados; Pinguinho de Gente, com 125 alunos atendidos (foto); e Grão Pará, com 200 alunos orientados.

Ações internas também foram realizadas junto à força de trabalho, a exemplo da divulgação e disponibilização do vídeo Combate ao mosquito Aedes aegypti no ambiente de trabalho, e divulgação nas TVs corporativas para ampliar a mensagem da prevenção a todos os empregados.

Complementando a programação, houve ainda  a inspeção sanitária nos locais de trabalho e nos reservatórios de água potável na UHE Tucuruí,  bem como nos prédios Administrativo, Centro Cultural e Centro de Treinamento. A fiscalização checou a armazenagem de materiais nas áreas com possibilidade de acúmulo de água da chuva, orientando que essas ações devem ser permanentes. Como resultado, as equipes da OGGAS não encontraram nenhum foco do mosquito.

Enfrentamento

O governo federal está mobilizado para enfrentar o mosquito Aedes aegypti. Diariamente chegam novas informações sobre o aumento dos casos de microcefalia no país, em virtude de a doença  estar associada ao zika vírus. Além da microcefalia, o mosquito também é responsável pela transmissão da dengue e chikungunya.

A Eletrobras Eletronorte está atenta e também participa anualmente da Campanha Nacional, seja com disseminação de informações seja com ações específicas de combate ao mosquito.

A campanha chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue, além da importância de eliminar os focos do Aedes. A ideia é sensibilizar as pessoas para que percebam que é muito melhor cuidar do foco do mosquito do que sofrer as consequências da omissão.

 Epidemia no segundo semestre de 2015

Desde a identificação do zika vírus no Brasil e sua associação com os casos de malformação neurológica,  o governo federal tem tratado o tema como prioridade. Por isso, no final do ano passado, foi criada a Sala Nacional de Coordenação e Controle, além de 27 salas estaduais e 1.821 salas municipais, com o objetivo de gerenciar e monitorar as iniciativas de mobilização e combate ao vetor, bem como a execução das ações do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia. A sala nacional é coordenada pelo Ministério da Saúde e conta com a presença dos integrantes de nove pastas federais.

Cabe a esse grupo definir diretrizes para intensificar a mobilização e o combate ao mosquito Aedes aegypti em todo o  território nacional, além de consolidar e divulgar informações sobre as ações e os resultados obtidos. Também faz parte das diretrizes: coordenar as ações dos órgãos federais e disponibilizar recursos humanos, insumos, equipamentos e apoio técnico e logístico, em articulação com órgãos estaduais, distritais, municipais e entes privados envolvidos.

Agência Eletronorte, por Denis Aragão/Tucuruí

 

Sem comentários