Inventário apresenta resultados de emissões de Gases de Efeito Estufa

A Eletrobras, comprometida com as boas práticas de sustentabilidade empresarial e de abordagem do tema Mudanças Climáticas, apresenta a nona edição do “Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa ano base 2016”, com os resultados das 16 empresas do Grupo. O Inventário mostra uma redução de 15,62% na emissão total de Gases de Efeito Estufa (GEE) das Empresas Eletrobras em 2016, em comparação a 2015. Os dados da Eletronorte apresentam uma redução ainda maior, de 61,70% em relação ao ano anterior, superando a meta de redução estabelecida em 0,2% ao ano para as Empresas.

Projeto de geração de energia solar em reservatório de hidrelétricas

O documento destaca que o somatório das fontes de geração renováveis – hídrica, eólica e solar – juntamente à geração nuclear (considerada não emissora de carbono), corresponde a 94,7% da geração de energia elétrica pelas Empresas Eletrobras, evidenciando uma matriz muito baixa em emissões de GEE.

Em 2016, a emissão de GEE por parte das Empresas Eletrobras foi de 11.175.791 tCO²e (toneladas de gás carbônico equivalente). As emissões que estão diretamente sob o controle operacional das empresas Eletrobras, representaram 81% do total. São atividades que incluem o combustível utilizado na geração em usinas termelétricas, gases utilizados nos equipamentos, como o SF6, entre outros.

O Inventário mostra também que, em 2016, as emissões diretas de GEE diminuíram em quase todas as suas fontes. A maior redução ocorreu por conta da diminuição do consumo de combustíveis fósseis nas usinas termelétricas, à exceção do Complexo Termelétrico de Candiota, da CGTEE.

A participação das Empresas Eletrobras na elaboração do Inventário se estabelece por reuniões periódicas do Grupo de Trabalho Estratégia Climática (GT 3), criado no âmbito do Comitê de Meio Ambiente das Empresas Eletrobras (SCMA). A captação dos dados é realizada por meio do Sistema de Indicadores de Gestão da Sustentabilidade (IGS), que monitora mais de duzentas variáveis de importância socioambiental, divididas em temas como: atividades administrativas, geração, transmissão e biodiversidade.

Usina Hidrelétrica Tucuruí, da Eletrobras Eletronorte

“O IGS é uma ferramenta para o monitoramento da gestão ambiental e apoio na elaboração de Relatórios de Sustentabilidade e Socioambientais das empresas, como o ISE Bovespa e o Índice de Sustentabilidade Dow Jones”, informa Ralph Kronemberger Lippi, um dos representantes da Eletronorte no GT 3.

“A inserção dos dados no IGS na Eletronorte é realizada pelos colaboradores das Regionais, que têm participação essencial neste trabalho e atuam diretamente nas atividades retratadas, juntamente com o pessoal de meio ambiente”, acrescenta Ana Claudia Batista de Oliveira, também integrante do Grupo.

Apesar da redução das emissões, os integrantes do GT 3 sugerem algumas medidas para ajudar a diminuir ainda mais esses índices, tais como: buscar a redução de perdas na transmissão de energia elétrica; otimizar os processos de manutenção de equipamentos que contém o gás SF6 (hexafluoreto de enxofre), reduzindo sua perda para o ambiente; melhorar o planejamento para a utilização de transportes terrestres, aquáticos e aéreos, evitando a emissão de GEE em deslocamentos; e reduzir o consumo de energia elétrica nas instalações.

O Inventário de GEE das Empresas Eletrobras segue a metodologia do IPCC (2006) e as diretrizes do Greenhouse Gas Protocol – GHG Protocol2 (WRI, 2004). O documento está disponível no site da Eletrobras, na área dedicada a Meio Ambiente.

Agência Eletronorte, por César Fechine

Sem comentários