SNPTEE: sessões técnicas atraem muita atenção no segundo dia do evento

Fonte que está tendo um rápido e intenso crescimento na matriz energética brasileira, a energia eólica é tema de vários trabalhos técnicos apresentados no XXIV SNPTEE, que acontece até amanhã em Curitiba (PR). Neste segundo dia do evento, terça, 24, o tema tem atraído muitos dos quase dois mil participantes do evento, e lotado as salas de apresentação.

Hoje já são 10.564 MW instalados num parque formado por 400 usinas. O potencial eólico do País pode chegar a 143 GW e a capacidade de geração é estimada em 272 TWh/ano. São dados apresentados por técnicos de Furnas, que fizeram uma avaliação comparativa de desempenho ambiental na substituição de energia elétrica originada de fontes não renováveis pela geração de energia eólica.

Usando uma ferramenta chamada Avaliação do Ciclo de Vida, chegaram à conclusão de que, se 82% da energia gerada por fontes não renováveis fossem substituídos pela geração eólica, haveria uma redução de até 98% dos impactos ambientais. Gabriel Doyle, da Aneel, por sua vez, indicou uma enorme discrepância entre a evolução dos parques eólicos e a expansão dos sistemas de transmissão associados a eles.  Esse descasamento tem redundado em atrasos de dois a quatro anos nas obras, gerando prejuízos da ordem de R$ 3 bilhões.

Eletronorte – Apresentações sobre P&D dominaram as participação da Eletronorte no XXIV SNPTEE na manhã desta terça-feira. Joaquim Pinheiro falou sobre a gestão da inovação tecnológica para alavancar processos operacionais na empresa, concluindo que “a inovação precisa ser gerida com métodos, métricas, diretrizes e o acompanhamento dos resultados”.

Marina Lodi apresentou o desafio de inovar frente à gestão dos recursos de P&D, apresentando uma solução adotado pela empresa, que é a controladoria de projetos de P&D, que vem melhorando os processos de auditoria, que passou a cobrar pontos de exigências para as executoras dos projetos, orientando, organizando, validando e acompanhando todas as etapas previstas nos manuais e na legislação.

Agência Eletronorte, por Alexandre Accioly

 

Sem comentários