Equipes da Eletronorte recuperam quatro torres no Acre

Profissionais das regionais Oeste, Leste e da Sede unem esforços para a recuperação de quatro torres impactadas por um deslizamento de terra

Situada às margens do Rio Iquiri, no Acre, a Torre 591, de 52 metros de altura,  caiu no final do mês passado, em decorrência de um deslizamento de terra ocasionado  pelas fortes chuvas ocorridas na Amazônia. Com a queda, a tração de cabos de energia do circuito 2 da linha Abunã-Rio Branco acabou sendo levada e duas outras torres próximas, a 590 e a 592, também vieram abaixo causando inclinação na estrutura da parte superior de uma quarta torre, a 593.

Para a recuperação da estrutura das quatro torres atingidas, todas na zona rural de Rio Branco, a 30 km do centro da capital, a Eletronorte montou uma equipe de trabalho na selva amazônica, tendo os técnicos trabalhado em condições climáticas desfavoráveis por conta da chuva constante,  da temperatura em torno de 38 graus e do solo argiloso dificultando a movimentação dos carros e do maquinário necessário ao trabalho.

De acordo com o engenheiro Walter Fernandes Santos, superintendente de Gestão de Ativos de Produção da Transmissão Oeste (OTO) e coordenador dos trabalhos, a ocorrência foi considerada grave, justificando a convocação de vários engenheiros e técnicos de Regionais e da Sede para auxiliarem os trabalhos de recuperação das torres. “Foi necessário acionar engenheiros e técnicos das Regionais do Oeste – Mato Grosso, Rondônia e Amazonas; Regional do Leste – Pará e Maranhão , e da Sede, em Brasília, além dos profissionais da Regional do Acre, em razão da gravidade da ocorrência, já que Rio Branco e municípios vizinhos são atendidos pelas linhas do Circuito 1 e Circuito 2, por meio do Sistema Interligado Nacional (SIN). A nossa preocupação em agilizar o serviço era evitar que, caso a outra linha tivesse algum problema, parte da população acreana ficasse sem energia”.

O trabalho levou 11 dias, mais de 150 horas e cerca de 100 profissionais da Eletronorte, com apoio da Eletrobras Distribuição do Acre,  governo do Estado do Acre, prefeitura de Rio Branco, Complexo do Peixe da Amazônia e Corpo de Bombeiros.

Agradecido ao apoio recebido da OTO e dos colegas das Regionais envolvidas na tarefa, o engenheiro Ediney Cruz Nascimento, gerente da Regional de Operação do Acre, destaca: “Nossa equipe no Acre é pequena e certamente a rápida conclusão dos serviços só foi possível graças ao apoio de cada colaborador que esteve no local e do apoio logístico, ferramentas e maquinário trazidos  da Regional de Rondônia.”

Torre 591

Para a recomposição da linha foi necessário colocar duas torres de emergências no local da 591. Isso em função da grave avaria na sua fundação, pois foi a única que sofreu maiores danos. Depois de a linha ter sido religada, a equipe da Eletronorte  já iniciou o estudo e planejamento do trabalho de construção da torre fixa no local, que ficará à distância de cerca de 40 metros do Rio Iquiri.

Desde 2009, ou seja, há nove anos, o estado do Acre faz parte do Sistema Interligado Nacional (SIN). As duas linhas que atendem aos acreanos saem de Porto Velho, capital de Rondônia, a 500 km de Rio Branco. Devido ao SIN, o Circuito 1 operou durante todo o tempo sem nenhum imprevisto, atendendo as demandas das cidades de Sena Madureira, Capixaba, Manoel Urbano, Xapuri, Porto Acre, Porto Rural, Epitaciolândia, Brasileia e a capital.

Na opinião de Raimundo Nonato Pacheco Soares, gerente da Regional de Operação de Rondônia, eventos dessa natureza mostram que a Eletronorte não tem somente o domínio tecnológico, mas também mão de obra altamente qualificada, além do comprometimento com a sociedade. “ Trabalhando de forma integrada conseguimos superar qualquer desafio”, comemorou  ele.

A energização da linha do Circuito 2 foi realizada no dia 9 deste mês, após quase duas semanas de manutenção.

Agência Eletronorte, por Tereza Félix/Rondônia

 

 

 

 

Sem comentários