P&D: Laboratório Central promove workshop sobre sobre eliminação de limo em subestações

O workshop que apresentou a parte final do Projeto de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) Soluções para eliminação de limo e outros materiais característicos da Região Amazônica de isoladores de Subestações da Regional de Operação do Pará, concebido e desenvolvido pelo Laboratório Central da Eletrobras Eletronorte em parceria com pesquisadores de diferentes instituições federais do País, foi promovido no final de março em Belém do Pará.

O Projeto visa solucionar o problema de limo nos equipamentos das subestações de energia elétrica, em especial aquelas localizadas na Região Amazônica e que sofrem com a alta umidade. Para que fosse possível chegar ao produto final da pesquisa, foi necessária a contribuição de excelentes profissionais de diversas áreas da Engenharia de universidades federais e de laboratórios de pesquisas de diferentes estados do Brasil.

Após dois anos e meio de pesquisas, os cientistas desenvolveram um produto à base de TiO2 (Dióxido de Titânio). O produto, conforme classificação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) está em desenvolvimento na fase da cadeia de inovação, chamada de cabeça de série. A próxima fase do Projeto, denominada Lote Pioneiro, será o momento de reunir pesquisadores e indústria com o objetivo de preparar o produto para ser comercializado.

Darcy Ramalho de Mello, ex-empregado do Centro de Pesquisas em Energia Elétrica (Cepel), participou desde o início da pesquisa nos anos 2000 e foi contratado para a continuidade do projeto pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

“Quando esse projeto de Pesquisa & Desenvolvimento começou, estava restrito somente ao evento na Eletrobras Eletronorte. No entanto, no decorrer dos estudos, provamos que não havia somente os aspectos visuais do problema de limo nos equipamentos das subestações, mas também o aspecto financeiro que acarreta perdas à Empresa. Ao demonstrarmos isso, acendeu a luz das outras concessionárias que lidam com o mesmo problema”, afirmou o professor ao falar da relevância da pesquisa.

Sobre as perdas financeiras apontadas por Darcy Ramalho, a principal delas seria os altos custos com manutenção dos equipamentos, devido ao problema com acúmulo de limo, que pode comprometer a eficiência do funcionamento dos equipamentos, dificultando a operação.

Segundo a coordenadora do Projeto, Sirney Oliveira, mestre em Química pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a união da equipe que está desenvolvendo o projeto foi fundamental para a consolidação da Pesquisa. Ela comentou: “Houve muita receptividade na Eletronorte com o grupo que trabalhei. Todo desenvolvimento foi muito integrado”.

O gerente do Laboratório Central, que está à frente desse trabalho, ressaltou que projetos como este são de grande importância para a Eletronorte, considerando a sua atuação na Região Amazônica e a convivência com esse tipo de problema”. Ele frisou: “Não podemos esquecer que existe uma grande quantidade de espécies de limo. Teremos linhas de transmissão que atravessarão a floresta amazônica, com grandes desafios de manutenção e não sabemos o que poderemos encontrar”.

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica, programas de Pesquisa & Desenvolvimento em empresas do Setor Elétrico são essenciais para criar novos equipamentos e aprimorar a prestação de serviços que contribuam para a segurança do fornecimento de energia elétrica. Isso sem falar que ao promover iniciativas dessa natureza, a Eletronorte está cumprindo o objetivo de aperfeiçoar pesquisas de desenvolvimento para melhorias nos processos de uso da energia elétrica.

Agência Eletronorte, por Ingrid Reis/Belém

Edição: Edileia Oliveira

Sobre o autor  ⁄ Michele Silveira

Sem comentários