Eletronorte antecipou 11 empreendimentos em relação ao prazo da Aneel

A antecipação média de três meses representou a obtenção de uma Receita Anual Permitida de R$ 18.933.786,74, com acréscimo de R$ 4.045.822,76 em antecipação à data determinada pela Aneel para a entrada em operação comercial dos empreendimentos.

Em 2018, todos os 11 empreendimentos de transmissão da Eletronorte que entraram em operação comercial foram antecipados em relação ao prazo da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A antecipação média de três meses representou a obtenção de uma Receita Anual Permitida de R$ 18,9 milhões, com acréscimo de R$ 4 milhões em receitas pela entrada em operação comercial antecipada dos empreendimentos.

A informação é da Diretoria de Engenharia da Empresa, que avalia que a eficiência e a eficácia representam um ganho financeiro para a Eletronorte, tanto pela redução de perdas por multas, quanto pela antecipação da receita. “É um orgulho para nós da Diretoria de Engenharia entregar, com antecipação, os serviços de transmissão autorizados para a Eletronorte. Tem sido imprescindível para nossa Empresa contar com o comprometimento e a expertise dos nossos empregados”, afirma o diretor Roberto Parucker.

Esses empreendimentos atendem ao crescimento de demanda por energia elétrica, além de proporcionarem maior confiabilidade ao Sistema Interligado Nacional (SIN). As entregas antecipadas dos empreendimentos também proporcionaram aumento na capacidade instalada de Transmissão: 810 MVA em Capacidade de Transformação – 7 Transformadores (trifásicos ou bancos monofásicos); e 120 MVAr em Compensação Reativa Acrescida (MVAr) – 4 Bancos de Capacitores (trifásicos ou monofásicos).

“O diferencial da Eletronorte para virar o jogo é a competência, a organização e o trabalho em equipe, de forma sistematizada e com foco em melhores práticas do mercado, fatos esses que levaram à recuperação de resultados e permitem que a Eletronorte atue com excelência, em nível de benchmark no mercado, atendendo e superando os prazos estabelecidos pelo regulador. Superado o desafio de implantação, dentro dos prazos, é momento de buscar excelência também na rentabilidade dos ativos”, explica o superintendente de Prospecção e Gestão de Portfolio (EPG),  Leonardo Silva de Carvalho.

As equipes da DE participaram de todas as fases do empreendimento, cada equipe contribuindo dentro das suas atribuições e de maneira integrada para a sua implantação. A implantação dos empreendimentos de transmissão é conduzida pela Superintendência de Transmissão (EET). “O sucesso que vem sendo alcançado pela Empresa na implantação dos empreendimentos conta com o comprometimento incondicional das nossas equipes, tanto da Sede quanto das divisões de Obras, bem como com a excelente parceria das equipes da DO envolvidas. As antecipações alcançadas somente foram possíveis em razão da competência dos profissionais da DE e da DO e dos esforços direcionados a um objetivo comum: superar desafios e contribuir para a expansão do negócio da transmissão”, avalia José Orlando Cintra, superintendente da EET.

A conclusão antecipada dos empreendimentos está alinhada às Diretrizes Estratégicas do Plano Diretor de Negócios e Gestão – PDNG 2019-2023 e ao objetivo estratégico que prevê a expansão dos negócios de geração e transmissão de forma sustentável, bem como ao Modelo de Excelência da Gestão da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). A entrada em operação comercial dos empreendimentos também evidencia o comprometimento da Eletronorte com a Agenda 2030 da ONU (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), principalmente com as metas para garantir acesso à energia limpa, barata, confiável, sustentável e renovável para todos, e ao objetivo que prevê que a confiabilidade no fornecimento de energia elétrica é um aspecto indispensável para a promoção do desenvolvimento e da industrialização.

A preocupação com as questões ambientais reflete também o alinhamento ao fundamento “Desenvolvimento Sustentável”, relacionado ao compromisso da Empresa em responder pelos impactos de suas decisões e atividades, na sociedade e no meio ambiente, por meio de um comportamento ético e transparente. Todos os empreendimentos colocados em operação comercial respeitam as demandas legais estabelecidas pelas Resoluções Autorizativas da Aneel. As ampliações realizadas nas subestações foram licenciadas e autorizadas pelos respectivos órgãos ambientais estaduais (Sema/MT – SE Coxipó e SE Barra do Peixe; Sedam/RO – SE Ariquemes e SE Vilhena; Semas/PA – SE Altamira e SE Vila do Conde) e pelo Ibama (SE Rio Branco), antes do início das obras, bem como todas as condicionantes das licenças e autorizações emitidas para cada um dos empreendimentos foram, ou estão sendo atendidas, atualmente pela Empresa.

Sobre o autor  ⁄ dila

Sem comentários