Em Tucuruí, Eletronorte produz 6 mil mudas de espécies nativas por mês

Com o objetivo de preservar o potencial genético das espécies da flora de interesse econômico e científico, cerca   de 6 mil mudas de espécies nativas são produzidas por mês  na Unidade de Propagação e Conservação de Plantas (UPCP)  da Eletronorte  e mantidas em um viveiro com capacidade para 90 mil exemplares.

Essa é uma das ações desenvolvidas pela  Superintendência de Gestão de Ativos de Produção da Geração (OGG) da Empresa para recuperar áreas degradadas na região do lago da Usina Hidrelétrica Tucuruí.  A  iniciativa abrange diversas  ações de mitigação, entre elas a doação de mudas e sementes para a comunidade visando  o reflorestamento da área de influência da Usina.

Anualmente, a Empresa produz 60 mil mudas. Em 2018,  foram doadas 52.292 mudas de 61 espécies diferentes e 815.885 sementes de 74 espécies a produtores e comunidades na área de influência da UHE Tucuruí.

O que é a UPCP

Criada em 1984, a UPCP integra o Programa Germoplasma Florestal e  mantém um banco genético de 82 espécies florestais que foram coletadas antes da inundação do reservatório. Na Ilha de Germoplasma, 220 espécies de árvores são cultivadas e servem como matrizes para a coleta de sementes que são replantadas em toda a Região Amazônica.

Conforme explica Shislena Galvão, gerente do Departamento de Meio Ambiente da Geração (OGGA), para manter preservada a flora na região, a Eletronorte mantém  um viveiro considerado o coração do programa e onde as sementes das árvores preservadas na Ilha de Germoplasma são colhidas e manuseadas a fim de garantir a alta qualidade e a perenidade das diversas espécies florestais e arbóreas da região.

Fruto das ações ambientais sob a responsabilidade da OGG,  o viveiro de mudas foi ampliado e revitalizado em 2016, quando a sua capacidade de produção foi  aumentada de 22 mil para 70 mil mudas ao ano.

Reflorestamento

Do monitoramento fenológico, passando pela coleta de sementes e pela análise e seleção  dos melhores exemplares  até à  produção de mudas, a iniciativa garante a oferta de sementes para reflorestamento. Espécies nativas como o açaí, paricá, ingá, morototó, cupuaçu, copaíba, ipê e mogno são produzidas pelos trabalhadores da Unidade e doadas periodicamente.

Um moderno laboratório de análises e profissionais qualificados garantem a qualidade das sementes que são doadas in natura ou como mudas para reabilitar o ecossistema da região. Conforme explica Jhuly Themys, bióloga e técnica de produção na UPCP, as plantas são doadas a produtores, entidades e associações da região e estão ajudando a reflorestar a área de influência da UHE Tucuruí. Além disso, a força de trabalho da Empresa faz atendimento por meio de solicitações individuais e  durante os eventos do calendário dos programas ambientais da Eletronorte.

Semanalmente são atendidas as solicitações oriundas de prefeituras do entorno do lago, das escolas localizadas na cidade e na zona rural, da comunidade e dos pequenos produtores. “Essas   ações também são uma resposta às condicionantes da licença de operação da Usina Tucuruí”, diz  Shislena Galvão, gerente de Meio Ambiente.

Compromisso com o meio ambiente

Ciente do seu  compromisso com o meio ambiente e com as comunidades do entorno da Usina Hidrelétrica Tucuruí, a Eletronorte vem desenvolvendo diversas ações de educação ambiental desde o início dos anos 2000, quando começou o processo de licenciamento ambiental da Usina.

Esse trabalho,   feito por meio de diversos programas e ações, conta com importantes parceiros e é complementar  às políticas públicas de educação ambiental  das secretarias municipais de Educação e dos demais órgãos de gestão ambiental. O Programa de Germoplasma Florestal contribui de forma ativa para a diminuição do passivo ambiental na região e para a Superintendência de Gestão de Ativos de Produção da Geração e reafirma a crença de que o desenvolvimento aliado à responsabilidade socioambiental garante a qualidade de vida e a sustentabilidade. 

Sobre o autor  ⁄ Agência Eletronorte

Sem comentários